De comédias a ficções científicas, passando por séries de ação, crime e drama, as séries brasileiras cresceram e aparecem cada vez mais nos destaques da nova safra do que há de melhor na TV mundial. O blog Inspire-se selecionou algumas séries para você se inspirar e curtir. Da sitcom Agora Sim a dramas repletos de ousadia como #MeChamadeBruna e O Negócio, passando pela divertida 171 – Um Negócio de Família e Perrengue, não faltam referências e bons programas para os fãs e para os criadores.

Confira:

Agora Sim
Canal: Sony
Roteiro: Daniel Tikhomiroff, Lucas Paiva Mello, Rodrigo Castilho e Fábio Danesi, com base em uma ideia de Marcello Serpa,  sócio e copresidente do board da AlmapBBDO
Produção: Mixer Films
Coprodução: Sony Entertainment Television do Brasil e Sony Los Angeles
Direção: João Daniel Tikhomiroff e Julia Jordão
Elenco: Fábio Herford, Agusto Madeira, Rodrigo Pandolfo, Amanda Lira, Thiago Pinheiro, Larissa Machado, Mayara Constantino
Primeira série brasileira de ficção da Sony, Agora Sim é uma sitcom com tudo que o formato exige. Ou quase. Apesar de ter, humor, diálogos afiados, cenário fixo e bem construído, situações tão constrangedoras quanto engraças, personagens carismáticos e atrapalhados, não tem claques e nem plateia. Isso porque, como afirmou o diretor o João Daniel Tikhomiroff, à revista Veja São Paulo, na estreia do programa, em fevereiro deste ano, “o público brasileiro acha que estamos subestimando sua inteligência quando mostramos o momento que se deve rir.”
Criada por Daniel Tikhomiroff, Lucas Paiva Mello, Rodrigo Castilho e Fábio Danesi, com base em uma ideia de Marcello Serpa, executivo da AlmapBBDO, a sitcom segue a fórmula do gênero amado por espectadores em todo o mundo e acrescenta uma dose de humor e questões, além de marcas, brasileiras ao roteiro.
Agora Sim tem humor e um elenco afiado que vive situações divertidas do dia a dia da Bitti Propaganda. Fundada por Maurílio Bittar, a Bitti é uma pequena agência de publicidade que, para tentar conquistar mais mercado e ter seu talento reconhecido, decide se mudar para uma casa ao lado de uma grande agência. Bittar e sua equipe tentam copiar as táticas de criação da concorrente, a R/Parsi que, ao contrário da Bitti, é bem sucedida, detém contas de clientes importantes e está muito bem no mercado. E é claro que daí surgem situações hilárias, criadas a partir de um roteiro bem trabalhado e de um elenco bem afinado, composto por Fábio Herford (que vive Bittar), Agusto Madeira (o diretor de planejamento Jurandir), Rodrigo Pandolfo (Alan), Amanda Lira (Rosa Maria), e Thiago Pinheiro (Serginho) e Larissa Machado (Dani) Mayara Constantino (Marina).

#MeChamadeBruna
Canal: Fox
Roteiro:  Leda Cartum, Gustavo Pizzi, Vitor Leite, Márcia Faria e Armando Praça (1ª temporada) / Aurélio Aragão, Christiana Alcazar e Teresa Frota (2ª temporada)
Produção: TvZero e Fox Brasil
Direção: Marcia Faria (Primeira Temporada) /  Octavio Scopelliti e Pedro Amorim (Segunda Temporada)
Elenco: Primeira temporada: Maria Bopp, Carla Ribas, Luciana Paes, Nash Laila, Perfeito Fortuna, Stella Rabelo, Marcelo Valle, Jonas Bloch, Clarice Niskier. Segunda Temporada: Maria Bopp, Luciana Paes,, Perfeito Fortuna, Stella Rabelo, Marcelo Valle, Jonas Bloch, Clarice Niskier. Gabriel Godoy e Maitê Proença.
Com a segunda temporada recentemente lançada no Brasil, #MeChamadeBruna nasceu da ideia de transformar em série as histórias de Raquel Pacheco, cujo livro O Doce Veneno do Escorpião: o Diário de uma Garota de Programa deu origem ao longa Bruna Surfistinha (2011), dirigido por Marcos Baldini. A série aprofunda as situações vividas por Bruna e é protagonizada por Maria Bopp. A primeira temporada foi ao ar em 2016 e enfoca desde a saída de Raquel/Bruna de casa, o início do trabalho como garota de programa até os desafios da nova rotina.
A segunda temporada já mostra Bruna morando sozinha e traz outras mudanças. Além da saída de Márcia Faria e da entrada de Octavio Scopelliti e Pedro Amorim na direção, também surgem em cena os atores Gabriel Godoy e Maitê Proença, jornalista que apresenta um programa de TV e quer seduzir Bruna com a possibilidade de se tornar famosa.

O Negócio
Canal: HBO
Roteiro: Fabio Danesi, Camila Raffanti e Alexandre Soares Silva
Produção: Mixer Films e HBO
Direção: Michel Tikhomiroff e Júlia Jordão
Elenco: Juliana Schalch, Rafaela Mandelli e Michelle Batista (protagonistas)
O Negócio conta a história de três garotas de programa que, para aumentar as perspectivas de carreira e de lucro, planejam uma nova estratégia de marketing para a profissão e se tornam mulheres de negócios. Ousada, a série trata do universo da prostituição sem julgamentos e sem tabus, mas com naturalidade e com humor. Isso tudo sem deixar de tratar das questões que a profissão enfrenta e  abordando também, em sua narrativa, os dramas pessoais, emoções, medos, sonhos e frustrações das personagens principais.
Luna (Juliana Schalch), Karin (Rafaela Mandelli) e Magali (Michelle Batista) são como qualquer outro empreendedor em sua área, que lutam e conquistam seu lugar no mercado, encaram a concorrência, enfrentam até mesmo a pirataria e têm dias (e noites) ruins no trabalho por conta de problemas pessoais.
Em sua quarta temporada, O Negócio está em primeiro lugar na lista de melhores séries do Brasil do site Adorocinema (http://www.adorocinema.com/series-tv/melhores/pais-5028/ )
Em 2016, a série  também foi citada no Buzzfeed dos Estados Unidos em uma lista com as “26 Séries mais Impressionantes do Momento”, em que alcançou a sétima posição do ranking, que incluiu produções como a inglesa Black Mirror e a X-Company, do Canadá.

171 – Um negócio de Família
Canal: Universal Channel
Roteiro: Marc Bechar (autor e roteirista)
Produção: Moonshot Pictures
Direção: Roberto d’Avila (diretor geral), Michael Ruman, Marc Bechar e Luis Pinheiro
Elenco: Norival Rizzo, Felipe Folgosi, Luiz Serra, Clarissa Kiste, Cacá Carvalho e Maria Manoella
Como sugere o título, a trama se desenvolve em torno de uma família de estelionatários. Moreira (Norival Rizzo) é um golpista à moda antiga, que viaja pelo mundo vivendo dos golpes que aplica. Dez anos depois de sair de casa, ele decide voltar; e faz isso exatamente no dia do velório de sua mulher. Seu retorno desagrada o filho Diógenes (Felipe Folgosi), um cara que decidiu levar uma vida honesta e trabalha como gerente de banco. Ele quer ser a exceção que confirma a regra de que “filho de peixe, peixinho é”.
Quando o pai resolve reunir sua antiga quadrilha de trambiqueiros da Mooca, além de garantir seu legado ‘treinando’o Chicão, uma batalha entre Diógenes e Moreira começa.
Para o patriarca, “um golpista sozinho é só um idiota tentando se dar bem”. Para Diógenes, a guerra com o patriarca vai revelar que a herança de golpista é algo do qual talvez nem ele e nem o filho Chicão vão poder se livrar.
“Na verdade, a série é sobre família, sobre um negócio de família. E fala muito da questão de herança, e da herança genética também, do que a gente erra de uma geração para outra”, comenta o criador Marc Bechar.

Perrengue
Canal: MTV
Roteiro: Marco Borges, Renata Correa, Gustavo Rademacher, Gabriela Maria
Produção: Renata Fraga e Tatiana de Lamare  / MTV
Direção: Tatiana de Lamare
Elenco: Mariana Molina, Guilherme Dellorto e Cadu Vinícius Redd
Christiana Ubach, Bruno Ferrari e Rafael Sieg
Dividida em 13 episódios, Perrengue foi toda rodada no Rio de Janeiro e retrata o cotidiano de Pérola (Mariana Molina), Miguel (Guilherme Dellorto) e Cadu (Vinícius Redd), amigos inseparáveis desde a adolescência.
Como bem observaram os criadores da série, Perrengue é uma selfie sem filtro das questões que envolvem a entrada na vida adulta: trabalho, família, drogas, aborto, sexo, relações livres e experiências homoafetivas. Com roteiro despojado, mas bem trabalhado, Perrengue revela os conflitos que os jovens encaram sem preconceitos, fazendo com o que até o mais antiquado dos espectadores divida com os personagens seus dramas, seus amores, desafios e momentos de reflexão. A série não pinta a juventude como um período apenas de diversão, mas também de angústias. Isso sem cair no óbvio ou no artificialismo.

Três Teresas
Canal: GNT
Roteiro: Luiz Villaça, Rafael Gomes, Sérgio Roveri, Leonardo Moreira e Carô Ziskind
Produção: Bossa Nova Films
Coprodução GNT
Direção: Luiz Villaça
Elenco: Cláudia Mello, Denise Fraga, Tetê Manoela Aliperti
Projeto da Bossa Nova Films, Três Teresas é uma comédia dramática, que narra a história de três mulheres de diferentes gerações e que pertencem à mesma família e herdaram o mesmo nome: Teresa (Denise Fraga), sua mãe Teresinha (Cláudia Mello) e sua filha adolescente Tetê (Manoela Aliperti). Elas são todas Teresas, mas não poderiam ser mais diferentes. E suas divergências provocam, claro, muitos conflitos. Alguns mais divertidos, outros mais dramáticos.
Criado por Luiz Villaça, Rafael Gomes, Sérgio Roveri, Leonardo Moreira e Carô Ziskind, o roteiro da série acompanha as questões do dia a dia destas mulheres que, com amor, brigas, choros e também, claro, muito humor. Apesar das guerras em família, as Teresas também têm muito em comum e, acima de tudo, são apaixonadas umas pelas outras. E são também apaixonantes. Com direção precisa de Villaça, diálogos e situações dramáticas muito bem construídos, além da atuação impecável das três Teresas do elenco, a série já se tornou referência no gênero.

Receba NossasNovidades